Martinho Lutero e a Guarda do Dia do Senhor

Por volta do ano 1440, Pedro de Ancarano proclamou que “o papa pode modificar a lei divina, uma vez que o seu poder não provém do homem, mas de Deus, e ele age na Terra como preposto de Deus, com pleno poder para liberar ou reter suas ovelhas” 1

Essa assombrosa afirmação veio a entrar em prática durante a Reforma. Lutero declarava que sua consciência estava subordinada apenas à Escritura Sagrada. Sola Scriptura, era o seu lema. “A Bíblia e a Bíblia somente.” Nenhuma tradição eclesiástica deveria ser admitida como guia para a vida de alguém.

Mas um dia ocorreu a Johann Eck e a outros líderes eclesiásticos escarnecer de Lutero em virtude de ele observar o domingo em lugar do sábado bíblico. Disse Eck:

A Escritura ensina: ‘Lembra-te do dia de sábado para o santificar; seis dias trabalharás e farás toda a sua obra; mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus’, etc. Assim, a igreja mudou o sábado para o domingo por sua própria autoridade, e para isso você [Lutero] não tem nenhuma Escritura. 2

John Eck

Teria portanto a obra de Martinho Lutero e de tantos outros reformadores sido invalidada, porque não compreenderam que Sola Scriptura significa somente a Bíblia e toda a Bíblia, inclusive com referência a observância do Dia do Senhor? É claro que não.

É evidente que ao iniciar esta obra de reforma, tanto Martinho Lutero, quanto outros reformadores, não tiveram luz total quanto a reforma a ser realizada também com relação a observância do sábado como Dia do Senhor. Esta reforma também necessária, foi levada a cabo posteriormente em nossa história.

Entretanto precisamos nos atentar para as palavras de Johann Eck “a igreja mudou o sábado para o domingo por sua própria autoridade, e para isso você não tem nenhuma Escritura“. Apesar de esta provocação partir de um teólogo católico que buscava escarnecer de Lutero, a pergunta soa de maneira mais profunda.

A quem servimos então? A Deus e sua palavra? A Deus e a Sua lei? Ou aos líderes eclesiásticos e suas tradições?

Com relação a esta pergunta, o apóstolo Pedro, considerado por muitos o primeiro papa, junto dos demais apóstolos responderam inspirados pelo Espírito de Deus:

Então Pedro e os demais apóstolos afirmaram: – É mais importante obedecer a Deus do que aos homens.

Atos 5.29

Deus abençoe.

1 Lucius Ferraris, Prompta Bibliotheca, 8 vols. (Venice: Caspa Storti, 1772), art “Papa, II”

2 John Eck, Enchiridion of Commomplaces of John Eck Against Luther and Other Enemies of the Church, trad. F. L. Battles, 2a ed (Grand Rapids, Mich.: Calvin Theological Seminary, 1978), 8v pág. 13.